MPA

Duração do Curso (tempo de integralização)

O Mestrado Profissional em Administração tem duração de 18 meses.

 

 

Atualizado em:  08/03/17.

Critérios de avaliação do processo ensino-aprendizagem

Art. 12

 

Ao aluno do curso é atribuído, em cada disciplina, um conceito final, que pode ser A, B, C ou D.

 

§ 1º O conceito D é atribuído ao aluno com desempenho insatisfatório e não acumula créditos. Entende-se por desempenho insatisfatório a frequência inferior a 75% das aulas previstas, ou descumprimento de exigências formais mínimas a critério do professor da disciplina.

 

§ 2º O aluno com conceito D em uma disciplina obrigatória deve repeti-la na primeira oportunidade em que for oferecida, sem conflito de horário com as demais disciplinas do módulo em que estiver regulamente matriculado.

 

§ 3º O aluno com conceito D em uma disciplina eletiva deve alternativamente:

 

a) Cursar a mesma disciplina na primeira oportunidade em que for oferecida, sem conflito de horários com as demais disciplinas do módulo em que estiver regularmente matriculado;
b) Cursar qualquer outra disciplina da grade de disciplinas eletivas do curso;
c) Substituí-la por créditos eletivos excedentes.

 

§ 4º Os prazos para protocolo de proposta e/ou dissertação não se alteram em decorrência de remoção de conceito D.

 

§ 5º Durante o curso, podem ser obtidos até 2 (dois) conceitos D, ressalvado o disposto no art.14 desta Normas.

 

 

Art. 13

 

 

O professor deve utilizar a seguinte distribuição de conceitos finais;

 

 

I- Para disciplinas com o mínimo de 5 (cinco) alunos, excluídos os alunos com conceito D e aluno(s) avulso(s):

 

a) CONCEITO A – 10% - 30%;
b) CONCEITO B – 50% - 80%;
c) CONCEITO C – 10% - 20%;

 

II- Caso a porcentagem corresponda a número fracionário, caberá ao professor decidir quanto à forma de arredondamento, para cima ou para baixo.

 

III- Para as disciplinas com número inferior a cinco alunos, excluídos os alunos com conceito D e aluno(s) avulso(s), distribuição de conceitos permanece a critério do professor da disciplina.

 

IV- Para as disciplinas dos módulos 5, 6 e 7 não será aplicada a curva forçada.

 

V- As disciplinas: Projeto de Pesquisa I e II, Primeira Semana de Imersão, Segunda Semana de Imersão e Seminário de Dissertação será considerado aprovado o aluno, que obtiver o conceito “satisfatório” e reprovado o conceito “insatisfatório”.

 

Parágrafo único. Devem ser registrados no diário de classe todas as notas ou conceitos atribuídos a cada uma das formas de avaliação que compõem o conceito final, e a respectiva ponderação, constantes no programa da disciplina.

 

Art. 14

 

 

É desligado do curso o aluno que acumular no currículo, a qualquer tempo, uma ou mais das seguintes condições:

 

a) 2 (dois) conceitos D simultaneamente;
b) 2 (dois) conceitos D não simultâneos, sem que o primeiro tenha sido removido;
c) 2 (dois) conceitos D numa mesma disciplina;
d) 6 (seis) conceitos C e 1 (um) D;
e) 7 (sete) ou mais conceitos C;
f) GPA < 3 e (7 (sete) conceitos C e nenhum conceito D);
g) GPA < 3 e (6 (seis) conceitos C e 1 (um) conceito D).

 

 

Parágrafo único. Entende-se por GPA a média acumulada dos valores dos conceitos finais das disciplinas sendo o valor de:

 

A = 4 (quatro)
B = 3 (três)
C = 2 (dois)
O conceito D não será considerado para computo do GPA.

 

Art. 15

 

 

É facultado ao aluno solicitar revisão exclusivamente da avaliação final, em requerimento dirigido ao professor da respectiva disciplina, protocolado na SRA até 5 (cinco) dias úteis a partir da data de publicação dos conceitos finais.

 

§ 1º Nos casos excepcionais, em que o professor excede o prazo de entrega do resultado final tem o aluno, naquela disciplina, o prazo de 7 (sete) dias úteis a partir da data de publicação, para requerer a revisão da avaliação final.

 

§ 2º O professor tem o prazo de 5 (cinco) dias úteis, a partir da data de encaminhamento do processo, para rever a avaliação e informar a SRA o resultado da revisão.

 

§ 3º A SRA/PPG publica a decisão, da qual não cabe recurso.

 

Art. 16

 

Ao aluno que tenha frequência inferior a 75% (setenta e cinco por cento) das aulas ministradas, excetuadas as faltas enquadradas no Regime Excepcional de Estudos previsto no Decreto-Lei nº 1.044 de 21.10.1969 e Lei nº 6.202 de 17.04.1975, é atribuído conceito D.

 

Parágrafo único – A tolerância máxima de 25% (vinte e cinco por cento) de faltas abrange as motivadas por gala, nojo e outros impedimentos previstos em lei (convocação militar, eleitoral, intimação judicial, doação de sangue, licença paternidade, etc.).

 

Para mais informações, consulte as normas operacionais do curso.

 

Atualizado em:  08/03/17.

Requisitos para Admissão

 

O processo de admissão consiste numa avaliação global do candidato, a partir dos documentos submetidos, participação no workshop de admissão e entrevista pessoal com a Coordenação do programa.

 

Para mais informações sobre o processo, clique aqui.

 

Atualizado em:  08/03/17.

Recursos Disponíveis (infraestrutura para o curso)

Laboratórios:

 

O Laboratório de Ensino e Pesquisa em Informática (LEPI) é composto por um conjunto de instalações equipadas com os mais modernos recursos de microinformática, com acesso à rede local, aos sistemas acadêmicos da Escola e à Internet e disponíveis aos alunos para utilização em pesquisas, trabalhos e estudos.

 

Os laboratórios são também utilizados em aulas práticas, exercícios de simulação, jogos, trabalhos em grupo e em outras aplicações em que a rede de computadores desempenha papel relevante para o aprendizado. Os laboratórios oferecem aos professores apoio para preparação de material didático e acesso a recursos multimídia para uso em aulas, sendo ainda utilizados em cursos de informática para alunos, professores e funcionários das Escolas e para desenvolvimento de aplicações voltadas ao ensino.

 

A FGV-SP conta com 295 equipamentos instalados nos Laboratórios de Ensino e Pesquisa. Alguns desses espaços são patrocinados por empresas como: Banco Bradesco, Banco Real, Samsung Hedging-Griffo, Itaú Personnalité e TecnoWorld. Mantém com a Microsoft um contrato Campus Agreement o qual garante a atualização dos produtos. As atualizações de hardware são feitas de acordo com a demanda dos softwares utilizados em aulas e/ou pelos usuários e conforme novas versões disponibilizadas pelo fabricante.

 

Os laboratórios de informática que estão disponíveis para uso dos alunos no acesso aos ambientes de ensino, pesquisas, simulações, jogos de negócios e EAD são os seguintes:

  • Laboratório 501 (Banco Bradesco): 43 computadores, 105,49 m2
  • Laboratório 502: 37 computadores, 91 m2
  • Laboratório 503 (Semp Toshiba): 37 computadores, 91 m2
  • Laboratório 504 (Amil): 57 computadores 152,26 m2
  • Laboratório 506 (Itaú Personnalité): 34 computadores, 84,30 m2
  • Laboratório 507: 31 computadores, 87,76 m2
  • Laboratório Biblioteca (especifico para uso da pós-graduação): 12 computadores, 18,80 m2

 

Links de Comunicação:

 

O acesso a redes externas e à internet é feito através, de links que a Escola mantém com a FAPESP (512 kbps), AT&T (1536 kbps), Telefônica (2048 kbps) e Speedy Business 4.0 (512 kbps).

 

Para facilitar a comunicação entre professor e aluno, foi criado um sistema de pastas eletrônicas VPN), disponíveis na rede interna (intranet), por meio da qual o professor pode colocar material didático e informações sobre a disciplina, à disposição dos alunos. Criou-se também o eclass ou classe eletrônica, sistema que permite comunicação mais completa entre professor e aluno, pois reúne, num único local - de perfil bastante dinâmico – avisos aos alunos, cronograma do curso, programa, exercícios etc.

 

Salas de aula:

 

As salas de aula da FGV-SP oferecem aos alunos um ambiente propício ao aprendizado, em virtude do conforto de suas instalações e dos recursos tecnológicos disponíveis. Totalmente cabeadas, permitem acesso à rede da FGV-SP.

 

Da mesa do professor é possível ter todo o controle da sala de aula. Do computador instalado nessa mesa, o professor acessa a Internet, tornando suas aulas mais dinâmicas. Todas as salas têm sistema multimídia que facilitam o acesso aos equipamentos tecnológicos como projetor, som, DVD, projetores, entre outros. O sistema de iluminação é controlado nesse espaço, assim como os microfones sem fio e com fio.

 

Todas essas facilidades são possíveis graças à ação das empresas parceiras.

 

Biblioteca:

 

A Biblioteca Karl A. Boedecker (BKAB) é uma biblioteca universitária integrante do Sistema de Bibliotecas FGV, de cujo Sistema fazem parte também a Biblioteca Mario Henrique Simonsen - BMHS, Biblioteca de Brasília e Biblioteca Digital FGV.

 

A BKAB foi criada em 1954 com o objetivo de fornecer apoio bibliográfico às atividades de ensino e pesquisa desenvolvidas pela FGV-EAESP. Em 2005, a BKAB passou a atender às escolas FGV-EESP e FGV-DIREITO SP, criadas no mesmo ano.

 

A Biblioteca possui acervo especializado nas áreas de Administração, Economia, Negócios, Direito e Ciências Sociais, composto por livros, ebooks, revistas, teses e dissertações, dvds , além  assinar inúmeras bases de dados com acesso a textos completos de artigos de revistas, informações econômicas, financeiras e legais. A BKAB disponibiliza aos usuários salas de estudo individual e em grupo, terminais de consulta ao seu catálogo, pesquisas na internet e bases de dados. Possui uma área total construída de 2.198,15 m², tendo uma extensão da biblioteca no prédio onde está instalada a FGV DIREITO SP.

 

Para mais informações sobre a biblioteca Karl A. Boedecker, clique aqui 

 

Atualizado em:  08/03/17.

Matriz Curricular

 

Para acessar a matriz curricular do curso, clique aqui.

 

 

Atualizado em:  08/03/17.

Corpo Docente do Curso

 

Para acessar a relação de professores que compõem o corpo docente do curso, área de atuação, titulação, qualificação, tempo de casa e tempo de profissão não acadêmica, clique aqui

 

 

Atualizado em:  08/03/17.