Departamento de Gestão Pública (GEP)

A criação da Fundação Getulio Vargas, em 1944, no Rio de Janeiro, constituiu um desdobramento do esforço de modernização e profissionalização da administração pública brasileira, associado à criação do DASP (Departamento Administrativo do Serviço Público). Em São Paulo, a FGV implantou, em 1954, a Escola de Administração de Empresas com a missão de preparar profissionais capazes de assumir a administração das empresas, num período de grande desenvolvimento econômico e de industrialização crescente do país. Na esteira desse sucesso, em 1969, foi criado um curso de graduação em administração pública no âmbito de um convênio estabelecido com o Governo do Estado de São Paulo com o objetivo de formar profissionais para a administração pública paulista. 
 
A fim de consolidar essa área de ensino e pesquisa que tem marcado a FGV desde os seus primórdios, foi criado, em 2008, o Departamento de Gestão Pública, na EAESP, reunindo profissionais de diferentes formações relacionadas à administração pública. A missão fundamental desse departamento é coordenar o ensino de graduação, pós-graduação acadêmica e profissional, a pesquisa e a publicação de trabalhos voltados ao aperfeiçoamento da gestão pública no país.
 
O GEP conta com 31 professores de diferentes formações profissionais, doutores e mestres, por renomadas instituições nacionais e do exterior. Entre as principais áreas de estudo e pesquisa de seus membros encontram-se: reforma do Estado, gestão pública e cidadania, poder local, avaliação de políticas públicas, finanças públicas, elites políticas e burocráticas, gestão de pessoas e carreiras públicas, tecnologia de informação no governo.
 
As disciplinas a cargo do GEP são:
  • No curso de graduação: Finanças III (Auditoria); Formulação, Implementação e Avaliação de Políticas Públicas; Diretrizes Governamentais e Planejamento Administrativo; Poder Local e Administração Municipal; Gerenciamento de Empreendimentos Públicos; Planejamento Socioeconômico na Administração Pública; Relações entre as Esferas Pública e Privada; Oficina I: Radiografia do Estado Brasileiro; Fundamentos do Estado de Direito; Sociedade Moderna, Estado e Racionalidade; Políticas Públicas: Agenda, Formulação e Avaliação; Qualidade e Produtividade dos Serviços Públicos; Estratégia de Comunicação nas organizações Públicas; Administração Pública no Brasil; Política Brasileira; Logística e Suprimentos na Área Pública; Estrutura Tributária e Finanças Públicas; Instituições Políticas e Administração Pública: Análise Comparada; Orçamento, Finanças Públicas e Governança: Brasil e Experiência Internacional; Direito Administrativo.
  • Nos cursos de pós-graduação (mestrados acadêmico e profissional; doutorado): Políticas Sociais e Descentralização; Gestão Pública em Perspectiva Comparada; Métodos de Pesquisa; Métodos Qualitativos de Pesquisa; Seminário de pesquisa: Governo e Sociedade Civil em Contexto Subnacional; Seminário de pesquisa: Transformações do Estado e Políticas Públicas; Gestão Pública no Brasil: Políticas e Desafios Contemporâneos; Tópicos de Política Comparada; Instituições Políticas: Teoria e o Caso Brasileiro; Redes e Sociologia Econômica; Cultura de Consumo e Esfera Pública; Políticas e Programação em Saúde; Government  and Civil Society in the Local Setting; Governo e Instituições Políticas no Brasil; Orçamento e Finanças Públicas; Análise de Políticas Públicas; Orientação Monográfica. 

O departamento está levando a cabo, no momento, o projeto de implantação de um novo curso de graduação em administração pública e governo, incluindo a formação de gestores de organizações públicas não-estatais, cujo início está previsto para fevereiro de 2011. 

Chefe do departamento: Prof. Peter Kevin Spink